Homophobia makes me want to suck dick

.

Meu post da semana passada no Meiobit Games deu o que falar. Era sobre racismo, e eu achei que a maioria absoluta concordasse com o ponto de vista que coloquei lá.
Bem, não foi o que aconteceu. O bicho pegou por lá, mais de 100 comentários num fim de semana, que são os dias de menor acesso do blog. Tudo isso me desgastou muito a ponto de, associado a outras coisas chatinhas, acabar com meu sábado. A maior parte, de pessoas não entendeu exatamente o ponto. Uma parte grande que acha que o racismo praticamente não existe mais e é a postura de vítima dos negros que causa mais racismo. Outros que acham que sofrem discriminação por serem brancos da mesma forma que os negros sofrem. Alguns poucos discutiram pontos menores e periféricos, mas ainda assim importantes (como o conceito de raça). Mas uma minoria barulhenta apareceu por lá só pra isso mesmo: fazer barulho.
Isso me fez lembrar de um post que li num dos meus recentes blogs favoritos, Escreva Lola Escreva. Ela cita um escritor hétero que falou "homophobia makes me want to suck dick". É isso mesmo. Quanto mais idiotas e estúpidos são os comentários, mais razão eu tenho. A cada "volta pro teu negão, sua mal comida", mais vontade eu tenho de expor minhas opiniões de forma educada e embasada. E a cada mostra de confiança no anonimato e impunidade na internet, mais vontade eu tenho de processar umas pessoas por racismo e difamação.
Bem, a parte importante é: vão lá e comentem, para o bem ou para o mal. O importante é pensar sobre o assunto. O post já saiu da página principal, divulguem. E estou sentindo falta de comentários de mulheres por lá. Depois falam que a gente não se manifesta pra nada, hein!
É isso.

6 Responses to “Homophobia makes me want to suck dick”

  1. Como já comentei contigo em off, também fiquei chocada com o tipo de gente que convive com a gente nos blogs e games por aí afora...

    É, esse povo super educado e esclarecido esbarra com a gente toda hora...

    Fica difícil criar coragem de postar uma resposta sincera lá no Meio Bit, por enquanto meu melhor foi postar no meu próprio blog onde, se aparecer um mané do tipo que apareceu por lá, eu posso kickar, deletar, e ainda postar minha opinião unilateral depois.

  2. Oi, Ale, passei os olhos pelos 100 comentários gerados pelo seu último post, sobre o racismo. Incrível que tenha tanta gente que não veja problema algum com um "Rosa Parks Stole my Seat". Incrível como tem gente que defende zero de discriminação, e ainda é contra as cotas, porque, afinal, discrinação se resolve só no gogó (basta alguém dizer ser contra a discriminação que PUFF, a discriminação desaparece). Incrível como ninguém se acha racista. Pra mim aquela pesquisa que mostra que a imensa maioria dos brasileiros acha que brasileiro é racista, mas acha também que ele(a), pessoalmente, não é racista, já diz tudo.
    Muito obrigada pora chamar a atençao pro meu post.

  3. Pois é Ale, são situações como essas (e algumas outras menores) que me fazem perder a vontade de escrever.
    Já comentei que se eu passar por esta vida e conseguir fazer alguém acreditar que os games podem ser uma forma de arte4 e cultura já terá valido a pena, mas então eu vejo "jogadores como eu" mostrarem que não conseguiram aprender nada ... É difícil.

  4. Kath says:

    Concordo com boa parte (senão tudo) do que disse lá, mas este não é o ponto. Ter opiniões contrárias ou concordantes é o de menos; a questão é respeitar-nos.
    Acho isso muito triste na internet (o que, como você bem disse, só espelha a nossa realidade), as discussões viram sempre coisas inflamadíssimas, com direito a ofensa. E (bem disse o Arnaldo Branco) coerência é o de menos, o Anônimo te xinga de medroso e o cara que aos 40 unca saiu da casa da mamãe te chama de perdedor.

  5. Kath says:

    A tempo, ridículo isso de "vá vender seu falso moralismo em outro lugar" ou "eu só odeio você". Se odeia tanto, não leia, não comente, não dê ibope. Vá vender a sua falsa bravura para quem compre.

  6. Jessica says:

    Ih, vocês tão exagerando... não é como se 2008 fosse aniversário da Lei Áurea ou algo assim... ou nos EUA parcela grande de quem não votaria no Obama, admite em pesquisas que não votaria nele apenas por ser negro... ou se a maioria silenciosa ainda fosse maior.

    Agora vocês me deixem chamar Irene, que o gato acabou de vomitar aqui e eu tô com nojo de limpar. Boa Noite.